Relacionamento com o cliente

17/11/2017

A ENERGIA SOLAR É POR NOSSA CONTA

A construtora MRV pretende equipar todos os seus novos empreendimentos com sistemas de geração de energia solar - sem repassar os custos para o dono do imóvel. O ganho será em marketing.

A mineira MRV, maior construtora da América Latina, se impôs uma meta desafiadora: daqui a cinco anos, todos os seus nossos empreendimentos deverão ser equipadas com sistemas de geração de energias solar. Não é pouca coisa. A empresa ergue cerca de 40 000 apartamentos por ano. Com células fotovoltaicas, os prédios deverão produzir, juntos, 316 gigawatts-hora energia por ano — o consumo de uma cidade de 121 OOO habitantes. Em alguns condomínios, como o Spazio Parthenon em Construção em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, todos os apatetamentos serão abastecidos pelo sistema. Em outros, como o Spazio Solar do Parque, em Salvador, na Bahia as áreas comuns é que contarão com a energia do sol. “Pensamos nisso como um beneficio para nossos clientes, que deixarão de ter o custo da conta de luz, e será bom também para a empresa e para o meio ambiente", diz Eduardo Fischer, presidente da MRV. “Ninguém faz isso na escala que faremos. Estamos na vanguarda.”

Escala — ou melhor, a falta dela — é um dos desafios para colocar o projeto de pé. Para viabilizar os apartamentos populares que produz, a MRV costuma trabalhar com poucos fornecedores, que lhe garantem preços competitivos no material de construção. As tintas. Por exemplo, são compradas de uma marca só, a Suvinil. Os tubos e as conexões veem todos da Tigre. Mas qual é o grande fabricante de painéis fotovoltaicos no Brasil? “Ainda não existe”, diz Fischer. A MRV tem encomendado os equipamentos de pelo menos uma dezena de empresas, mas o executivo espera que isso mude futuramente — o ideal é ter apenas um ou dois fornecedores de cada produto.

O projeto exige um investimento de 800 milhões de reais, que serão absorvidos pela MRV. “O valor médio de nossos apartamentos é de 150 000 reais, e a instalação da energia solar custa 4000 reais. Não há margem para repassar no preço”, diz Fischer. O apelo comercial, no entanto, deve compensar o custo. A MRV criou um selo que classifica os empreendimentos conforme o número de ações de sustentabilidade envolvidas. Todos os prédios devem cumprir uma série de exigências, como ter um local para coleta seletiva de lixo ou medição de água individual nos apartamentos. Os que, além disso, tiverem medição de gás também individualizada recebem o selo MRV +Verde 1. A geração de energia fotovoltaica garante o selo de nível 2; e sistemas de reaproveitamento de água da chuva, o selo de nível 3. Ao apresentar um imóvel para um cliente, os selos ajudam a explicar os diferenciais — e a acelerar a venda.

Galeria de Fotos

Últimas notícias

16/09/2020

MRV investe no digital para ampliar número de corretores

Maior incorporadora do país pretende quintuplicar o número de corretores que vendem seus produtos

Saiba Mais

14/09/2020

Estes são os vencedores por categoria das 100+ Inovadoras no Uso de TI

Vencedores foram anunciados nesta quinta-feira (10) durante o IT Forum Anywhere

Saiba Mais

14/09/2020

O momento das boas práticas

Saiba Mais

26/08/2020

MRV lança nova assistente virtual para aprimorar a experiência dos seus clientes

Após revisar os papéis de personagens anteriores, a companhia evoluiu e definiu uma nova assistente virtual que atende no WhatsApp, Facebook, telefone, plataforma digital de vendas e atendimento aos clientes.

Saiba Mais

25/08/2020

Mineira MRV está em ranking das 100 maiores empresas globais da construção civil

De acordo com o Ranking Global Powers of Construction 2019

Saiba Mais

20/08/2020

Ranking Marcas Mais do Estadão

MRV é eleita pelo quarto ano consecutivo como a melhor construtora do país

Saiba Mais

20/08/2020

Adoção do ESG é fundamental para o sucesso dos negócios

Empresas que não assumirem compromissos ambientais, sociais e de governança terão negócios e imagem comprometidos

Saiba Mais

06/08/2020

Esse lugar também é nosso

Duas engenheiras e uma economista contam como é atuar em setores predominantemente masculinos, os desafios que enfrentaram ao longo da carreira e as conquistas que abrem caminho para outras mulheres que querem seguir seus passos

Saiba Mais

Compartilhe essa informação com seus amigos, familiares e conhecidos.