30/06/2017

Estádio do Galo quer fugir ao modelo Copa

Meta é popularizar a MRV Arena e atingir média de público de 35 mil pessoas

Um estádio com 47 mil lugares, sendo 70% deles destinados a setores mais populares. Essa é a grande ambição da diretoria alvinegra com a construção da Arena, casa que o Atlético espera inaugurar já em 2020 graças à união de esforços entre grandes empresários e seus próprios torcedores. Uma fonte do Superesportes/Estado de Minas teve acesso ao projeto completo e detalhou informações que serão levadas à aprovação do Conselho Deliberativo em breve.

O modelo de estádio popular vislumbrado pelo Atlético é baseado na entrega de serviços à altura dos preços dos ingressos. Quem puder pagar mais caro terá uma “experiência” diferenciada, com oportunidade de circular em áreas exclusivas e mordomias no pacote. Mas o foco será permitir ao 'povão' pagar menos para ver o que interessa: o time. Isso será viável, segundo o projeto, com estruturas mais simples, como setores sem cadeiras. Moderno e ecologicamente correto, o estádio do Galo também terá seu lado ‘raiz’.
Com esse diferencial, a meta é atingir média de público de 35 mil pessoas e transformar o estádio num caldeirão temido pelos adversários. A distância do campo para as primeiras cadeiras será de apenas seis metros, a menor entre as novas arenas do país.

Para baratear custos, a ideia original de ter no estádio um shopping e um centro de convenções foi, inicialmente, abortada. Vários dos serviços prestados no entorno serão móveis, como os já conhecidos food trucks. Desses parceiros, o clube exigirá preços mais baixos para competir com o comércio clandestino que tira receitas dos clubes nas arenas.

Um dos atrativos será a localização, no Bairro Califórnia, na região Noroeste de Belo Horizonte. A área de 100 mil m2 fica próxima ao Anel Rodoviário, à BR-040, à Via Expressa e será ligada ao metrô por uma via com 1km de extensão. O projeto cita a intenção de reconduzir aos jogos o torcedor de Contagem, Betim e demais cidades da Região Metropolitana. O estacionamento previsto de 2.700 vagas poderá atingir 4 mil carros com a compra, futura, de um terreno vizinho. Essa etapa da obra está em análise.

Aliados

O Atlético conseguirá erguer sua casa própria sem investir recursos próprios. O custo total está orçado em R$ 450 milhões e será bancado, principalmente, pela MRV Engenharia, pelo Banco BMG e pela venda de cinco mil cadeiras cativas. Cada uma custará R$ 25 mil, com parcelamento em quatro anos. A receita com essa comercialização chegará a R$ 125 milhões.

A construtora dirigida pelo atleticano Rubens Menin comprou o terreno por R$ 60 milhões e vai adquirir os naming rights por R$ 40 milhões. A casa do Galo, a ser construída em 28 meses, entre 2018 e 2020, nascerá com o nome MRV Arena. A empresa ainda usará o seu know-how  na execução da obra e em negociações com fornecedores. Por conta disso, o custo por assento será o menor entre todos os estádios recém-construídos no país: R$ 10 mil.

O Banco BMG, do ex-presidente Ricardo Guimarães, será outro grande aliado no empreendimento. O clube trabalha mais parcerias para chegar ao valor total da obra.

De acordo com a proposta que será apresentada ao Conselho Deliberativo, o estádio terá preço final fechado, sem gastos extras que possam prejudicar a vida financeira do clube. Um fundo será criado especificamente para cuidar dos recursos da construção. Dessa forma, nem mesmo o presidente poderá transferir verbas para o futebol, por exemplo.

Últimas notícias

09/04/2021

Um mercado resistente ao vírus

Juros ainda baixos, boa oferta de apartamentos, fim das viagens e menores gastos com lazer direcionam recursos para a compra do imóvel novo

Saiba Mais

09/04/2021

O plano americano das empresas

Sinais de recuperação da economia, vacinação avançada, pacote trilionário do governo e resgate das políticas ambientais fazem empresas brasileiras aumentar a aposta nos Estados Unidos.

Saiba Mais

25/03/2021

O plano da MRV para ir além do popular e entregar R$ 18 bilhões em vendas

Em entrevista ao Conexão CEO, Rafael Menin, copresidente da MRV, detalha a estratégia da empresa para criar um ecossistema de diferentes modelos de habitação, os planos de expansão e as perspectivas de listagem ou busca de sócios para essas novas operações

Saiba Mais

25/03/2021

Coronavírus: casa própria ganha ainda mais importância durante a crise e vendas aumentam na MRV

Rafael Menin, CEO da construtora, fala sobre os trabalhos da empresa voltados ao 'ecossistema de moradia', as iniciativas de inovação na construção civil e conta como a pandemia traz outras demandas em um condomínio

Saiba Mais

23/03/2021

MRV: R$ 1 bilhão para a comunidade

Saiba Mais

26/02/2021

Audiência Pública Virtual - Meireles e MRV

Saiba Mais

26/02/2021

MRV lança marca para atender à classe média

O Sensia Parque Prado, em Campinas, interior de São Paulo, é o primeiro passo da construtora

Saiba Mais

05/02/2021

MRV oferece 30 mil bolsas de estudo para a área de Tecnologia da Informação

Em parceria com a Órbi Conecta, Banco Inter e Localiza os cursos online sobre linguagem de programação chegam ao total de 100 mil vagas; construtora fará uma live na próxima sexta-feira, 05/02, para lançar e explicar mais detalhes sobre o programa

Saiba Mais

Compartilhe essa informação com seus amigos, familiares e conhecidos.