Relacionamento com o cliente

Português Inglês
05/05/2015

Conheça os sete erros mais comuns do consumidor em tempos de seca

Com a crise hídrica em São Paulo e a ameaça do rodízio de abastecimento, os paulistas procuram por alternativas para estocar o máximo possível de água em casa. O problema é que mal armazenada ou retirada de fontes não confiáveis, a água pode trazer riscos à saúde e causar problemas na residência.

Deixar de economizar

"Economizar água faz muita diferença e as pessoas estão começando a perceber. Parece um tempo de guerra, mas é a guerra que nós estamos porque é realmente difícil, mas é possível diminuir o consumo", afirma Yamaguchi.

Medidas simples como usar o mesmo copo ao longo do dia e servir a panela à mesa, em vez de colocar o alimento em um refratário, diminuem muito o consumo de água. Depois basta acumular a louça, ensaboá-la toda de uma vez e só abrir a torneira por último. "Assim dá para diminuir o volume de 140 litros para 30 litros consumidos", disse.

Outro exemplo de economia é reutilizar a água da máquina de lavar, do banho ou da chuva para limpar o vaso sanitário. Dá ainda para usar a água da chuva para limpar quintais e apenas um copo de água para escovar os dentes, ela ensina.

Conheça os sete erros mais comuns na economia de água de acordo com os especialistas.

Usar água da chuva para beber, tomar banho e cozinhar
A água da chuva armazenada em casa não pode ser usada para beber, tomar banho e cozinhar porque ela contém uma alta concentração de poluentes atmosféricos, que podem causar mal à saúde. Essa água só é indicada para consumo com tratamento químico, feito somente por especialistas, não bastando ferver ou filtrar. Por isso, é melhor usá-la apenas na limpeza da casa.

Guardar água em piscina sem tampa
Só use a piscina para armazenar água potável se for possível mantê-la fechada, com uma tampa que não tenha espaço para a entrada de sujeira e de insetos, como o Aedes aegypti, causador da dengue. Uma dica é usar uma lona grossa para vedar. Plástico e panos finos podem ajudar a contaminar a água e deixá-la exposta.

Consumir água de poço
Toda a água subterrânea está de certa forma exposta a contaminação por resíduos químicos, que podem causar sérios riscos à saúde. Tentar fazer um poço em casa aumenta mais esse risco. Só tire água de poço depois que tiver certeza que é de boa qualidade, o que só um técnico tem condição de analisar. Na dúvida, a Cetesb (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental) pode ser acionada.

Guardar água em vasilhame de material de limpeza
Não adianta lavar mil vezes. Nunca reutilize galões de material de limpeza ou de qualquer outro produto que tenha substância química para guardar água para consumo. A água pode ser contaminada e causar problemas à saúde.

Deixar recipientes com água no chão
Nunca deixe as garrafas e galões usados para armazenar água no chão, local por onde passa insetos e naturalmente é mais sujo do que outras partes da casa. Prefira deixar os recipientes em locais mais altos, como bancadas ou em cima da mesa, para evitar possível contaminação da água.

Diminuir a higiene pessoal
Deixar de escovar os dentes, de lavar a louça ou de dar descarga, acumulando sujeira no corpo e em casa, não são as melhores formas de economizar água, porque não adianta optar por isso em troco da saúde. O ideal é economizar usando um copo com água na escovação, diminuindo a louça usada para cozinhar (levar à panela à mesa em vez de usar um refratário) e usar água de reuso no vaso sanitário.

Colocar a segunda caixa d'água sem orientação técnica
Uma caixa d'água de 1.000 litros pesa mil quilos. Este peso deve ser considerado na hora de colocar mais uma caixa em casa para evitar queda de estruturas e acidentes. A caixa deve ser colocada sobre vigas capazes de suportá-la. A dica é consultar um engenheiro antes de instalá-la na parte superior ou um encanador se for deixá-la na parte de baixo para instalar uma bomba de captação de água.

Fonte: UOL


Email enviado com sucesso!

Compartilhe essa informação com seus amigos, familiares e conhecidos.