Relacionamento com o cliente

Português Inglês
25/09/2014

7 ervas aromáticas fáceis de cultivar em casa

horta em casa

A salsa ou salsinha (Petroselinum crispum) é um tempero comum, que pode ser plantado em qualquer vaso ou canteiro preenchido por terra minimamente fértil. Cada exemplar chega a até 30 cm de altura e tem ciclo curto de vida (de um ano, em média). É recomendável o plantio em vasos de, no mínimo, três a cinco litros, com sementes, que são depositadas na terra misturada ao húmus de minhoca (ou compostos orgânicos). Ao colhê-las, faça-o alternadamente: enquanto uma muda cresce, a outra é colhida e assim sucessivamente. Ao cortar, tire todo o galho e não apenas as folhas, aproveitando para eliminar partes mortas. A rega deve ser diária ou sempre que a terra estiver seca e é importante atentar-se para proporcionar à salsinha a exposição direta ao sol por, pelo menos, três a quatro horas por dia.

O manjericão (Ocimum basilicum) é uma planta robusta que pode chegar a um metro de altura. A erva vai bem em vasos, desde que os recipientes sejam amplos, com mínimo de 15 a 20 litros. Para crescer de maneira adequada, o ideal é que esteja isolado, mas se o cultivo for em canteiro compartilhado, agrupe o manjericão com outras plantas de maior porte, como o alecrim. Sua poda é feita pelas pontas e deve ser realizada aos poucos. O solo precisa ser rico em matéria orgânica e irrigado todos os dias. A planta ambienta-se melhor em espaços mais frescos, mas necessita de sol pleno, por pelo menos quatro horas diárias. Quando bem cuidado, o manjericão pode durar um ano.

A alegria-dos-jardins, também conhecida como sálvia (Salvia splendens), é um tempero originário da América de Sul, de porte pequeno, mas que tem ciclo de vida longo: pode resistir por dois ou mais anos, quando bem cuidada. Dá flores vermelhas que também servem para decorar canteiros de jardins e atrair beija-flores. De sol pleno, a sálvia pede regas diárias e poda após cada florada, para refortalecimento. Suporta temperaturas mais baixas (desde que tome banho de sol direto, algumas horas por dia), e o melhor jeito de plantá-la é através das sementes, para que cresçam mais bem adaptadas ao local de cultivo. Há também a sálvia ou salva-de-botica (Salvia officialis), de origem mediterrânea e muito usada na preparação culinária, especilamente de assados, e no trato de enfermidades, como a má digestão. Resistente, atinge cerca de 45 cm de altura e tem folhas rugosas verde-acinzentadas e flores azuladas, púrpuras ou brancas.

O tomilho (Thymus vulgaris) tem folhas miúdas, cresce em ramos largos que não ultrapassam os 40 cm de altura e pode ser cultivado e podado segundo as regras do Bonsai. A erva se desenvolve melhor em canteiros, mas em vasos e jardineiras é possível plantá-la. Há espécies comestíveis ou não, mas todas tem ciclo de vida perene e precisam de sol pleno diariamente. O tomilho sobrevive bem a estiagens, não suporta solos encharcados e pede rega regular (diária e moderada) e cultivo em substratos enriquecidos com matéria orgânica (como o húmus de minhoca). A planta comestível tem ciclo de vida anual e sua poda deve ser realizada depois da florada.

Os tipos mais comuns de orégano (Origanum vulgare) desenvolvem-se como pequenos arbustos com até 40 cm de altura e folhagem densa de formato oval. Resistente e perene, o orégano é "agressivo" e é recomendável separá-lo de outras ervas como salsa, cebolinha e manjericão. A espécie requer solo adubado com matéria orgânica, irrigação diária e moderada e exposição cotidiana ao sol pleno (por algumas horas). Para manter seu uso gastronômico, deve ser replantado a cada dois anos, porque a retirada constante das folhas faz com que o exemplar perca força. O replantio é feito com sementes, mas suas touceiras e ramos enraizados também podem ser divididos e disseminados.

O alecrim (Rosmarinus officinalis) para uso culinário, se bem cuidado, pode durar mais de três anos. Planta forte e de sol pleno (pede luz natural direta por pelo menos por quatro horas por dia), pode chegar a 1,5 m de altura e possui muitas ramificações. Vale a pena ter um vaso bem grande (20 litros) só para o pé de alecrim, porém, se inicialmente o recipiente for pequeno, o transplante deve ser feito a medida que a planta encorpar. A rega é necessariamente diária e a adubagem também deverá ser regular (uma vez por mês). Ao fazê-la, revolva o solo superficialmente a fim de misturar a matéria orgânica e aerar a terra. A poda é feita com a quebra dos galhos, de cima para baixo.

A hortelã ou menta (Mentha sp) é uma erva aromática que serve como tempero ou no preparo de chás e bebidas. Porque é rústica e perene, também não deve ser misturada a outras ervas, com exceção do manjericão, desde que haja espaço suficiente no vaso (pelo menos 15 ou 20 litros) ou canteiro para que ambas se desenvolvam. O solo, enriquecido uma vez por mês com matéria orgânica, precisa estar bem irrigado, mas nunca encharcado. A planta também pede sol direto por pelo menos quatro horas por dia e a poda é apenas foliar. O replantio, assim como o do alecrim, pode ser feito por sementes, rizomas ou ramos enraizados da planta. Quando bem desenvolvida, cresce até 30 cm ou 40 cm,

A cebolinha (Allium fistulosum) é uma erva aromática de bulbos brancos e alongados e folhas verdes, compridas e cilíndricas, que chegam a 40 cm de altura e facilmente se alastra nos canteiros. Resistente, aguenta períodos de frio ou calor mais intensos e sua poda é feita por extração do bulbo ou corte das folhas na altura da base, para que cresçam novamente. O replantio é simples, por sementes ou divisão de touceiras, assim como o capim-limão ou o alecrim. Para o plantio comum, associe-a apenas às plantas de pequeno porte, como a salsa. Para um bom desenvolvimento, ofereça sol pleno diariamente.

Fonte: Fonte: UOL

Link para download:


Galeria de fotos

Matérias relacionadas
A #Sustentabilidade

Email enviado com sucesso!

Compartilhe essa informação com seus amigos, familiares e conhecidos.