Relacionamento com o cliente

Português Inglês
28/08/2014

Projetos da MRV contribuem para a preservação dos recursos naturais

A MRV Engenharia aposta em estudos e implementação de métodos que viabilizam o uso racional dos recursos naturais em seu processo construtivo. Desde a sua concepção, os empreendimentos da companhia têm a marca da sustentabilidade e são voltados, sobretudo, para a preservação dos recursos naturais, a redução da geração de resíduos e a maior racionalização do uso de materiais e da mão de obra.

O empreendimento Parque Princesa do Vale, em Pindamonhangaba (SP) adotou medidas aparentemente simples, mas de grande eficácia, que estão sendo colocadas em prática para mitigar impactos da obra sobre o meio ambiente. O reaproveitamento da água é um dos principais focos da obra, uma vez que é um recurso natural em escassez. Para isso, a chuva acumulada nos telhados é captada e utilizada para lavar sacarias e irrigar a obra e a água usada para lavar as mãos é reaproveitada no mictório. A obra também realiza o processo de decantação com a água que sai da betoneira e utiliza a água reaproveitada na lavagem das bicas dos caminhões de concreto , possibilitando minimizar a quantidade gasta  deste recurso na empresa de abastecimento.

Já para otimizar o uso da energia, telhas transparentes nos vestiários dos trabalhadores foram instaladas, de forma que a luz natural seja utilizada, reduzindo assim o gasto e o uso de energia elétrica. Outra iniciativa adotada foi a instalação do secador de mãos nos vestiários, o que contribuiu significativamente para a redução do uso de papel e geração de resíduos.

Procedimentos para segregação e acondicionamento dos resíduos foram estabelecidos em Pindamonhangaba de forma a garantir que os materiais estejam em correto estado de conservação para serem reciclados. Foram instaladas lixeiras de coleta seletiva e baias móveis metálicas específicas para destinação dos materiais como plástico, metal, madeira e papel. Além disso, é utilizado um lavador de sacaria tornando o material contaminado em papel a ser reciclado. A obra faz também coleta especial de resíduos altamente contaminantes para o meio ambiente, como baterias e lâmpadas. Com essas medidas, 282 m³ de resíduos, o equivalente a 58 caçambas de materiais da construção civil, foram destinados corretamente e utilizados na obra, gerando uma economia de R$ R$ 4.640.

A redução da utilização de madeira é outro destaque do Parque Princesa do Vale. Através de uma mudança de conceito no processo construtivo, a tradicional laje pré-moldada será substituída pela aplicação da laje içada, gerando a preservação de diversas árvores e aumentando a produtividade. Foi adotado também, o processo de cintamento contra barranco, em que, por meio do uso de uma máquina específica para esse fim, valetas são abertas sem a necessidade de utilização de madeira para realizar o procedimento.


Email enviado com sucesso!

Compartilhe essa informação com seus amigos, familiares e conhecidos.